sexta-feira, 4 de setembro de 2009

De que serve um pai durante a gestação e parto?

Para começar do começo, o óbvio: sem pai não tem gestação. Isso precisa ser lembrado? É incrível, mas precisa. A gestante fica se sentindo muito poderosa, o que é ótimo para ela e para o bebê, mas, às vezes, os homens vão se sentindo muito relegados, fracos e desnecessários. A gestante com o “rei na barriga” e o pai sentindo que perdeu seu trono. Se o homem estava acostumado a ser aquele que “entende de tudo”, que conhece o mundo, sustenta a família, pode começar a se sentir sem a menor importância, quando se trata de gerar um filho. Ou, se o pai é aquele que divide em pé de igualdade todas as tarefas com a mulher, ele pode se sentir excluído na divisão de tarefas da gestação.

Há pais que deprimem, engordam, têm vontade de ir embora. Há pais que “adoecem” inexplicavelmente e ficam pedindo colo para a mulher. Em suma, o pai também vive transformações na gestação. Afinal, ele também está gestando um novo papel, seja como pai de primeira viagem, seja com a chegada de outros filhos que trazem uma dinâmica familiar inteiramente nova em que se tem que lidar com ciúmes, diferenças etc.

Por outro lado, a gestante tem reações inesperadas e tem toda uma psicologia própria e específica desta fase que assusta, confunde e, às vezes, enlouquece os pais. A gestante oscila momentos em que se sente super potente, forte, convicta e alegre, com outros momentos em que se sente desprotegida, confusa, insegura, triste e extremamente carente.

De que serve o pai durante a gestação, afinal? Estudos mostram que a participação do companheiro durante todo o processo de gestação, parto e puerpério (período que se segue ao parto) é um dos fatores importantes para que a mãe tenha sucesso na formação de vínculo com seu bebê, ou seja, a presença atenciosa e amorosa do pai ageta o amor que se estabelece entre mãe e filho. Por outro lado, é claro que quanto mais próximo estiver o pai, mais facilmente ele se envolverá com o filho e quem não precisa ser criado por um pai interessado?
Estes mesmos estudos mostram que gestantes que tiveram companheiros mais presentes têm menos chance de terem uma depressão pós-parto. Estas questões devem ser pensadas inclusive quando o casal já está separado, pois mesmo assim, paternidade e a maternidade podem continuar a ser um projeto amoroso, só que de amor pelo filho.
Como vemos, ao contrário de como se sentem alguns pais, eles são muito importantes! A mulher grávida ou a mãe de um recém nascido tem uma tarefa que precisa estar totalmente voltada para o filho. Para que a criança possa se desenvolver com segurança, a mãe tem que se dedicar integralmente. Isso só é possível se as exigências do mundo (trabalho, família, vida social) puderem ser deixadas um pouco de lado e o bebê ficar em primeiro lugar. Para desenvolver sua capacidade de ser mãe (ninguém nasce sabendo) a mãe precisa que o pai seja como uma mãe para ela. A mãe precisa receber uma maternagem do companheiro para poder maternar o filho. Isso não é pouca coisa e requer uma troca amorosa intensa. Um projeto de tamanha importância, que diz respeito a gerar outra vida, não poderia exigir de ambos os pais menos que tudo.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Você conhece o significado dos choros?

Pais de primeira viagem costumam ficar de cabelos em pé quando seus bebês começam a chorar. Agora, a mãe-cantora Priscila Duston, de 32 anos, diz ter descoberto uma fórmula mágica para acabar com os momentos de desespero. Ela passou oito anos estudando os grunhidos de seu bebê e de outras crianças e conseguiu dar significado a cinco sons. "Neh", diz ela, quer dizer que a criança está com fome. "Owh" é o som que os bebês fazem quando estão com sono. "Eh" vem quando é hora do arroto. "Eairh" indica dor por gases e "heh" significa que a criança está desconfortável. A linguagem universal dos bebês serve para evitar o choro histérico e 90% das mães que adotaram o método disseram que ele funcionou.

Assistam o vídeo com a reportagem.

Ricardo


video

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Vídeo Antigo, mas engraçado

Se fizer isso com minha filhinha vai acontecer a mesma coisa. rsrsrsrs.

video

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Os nomes mais populares

Descubra quais são os nomes mais escolhidos do Brasil e seus significados


Pesquisa feita pela empresa Certifixe, que reúne 19 cartórios em todo o Brasil, fez o ranking dos 30 nomes mais comuns no país. Confiram.

1º lugar - Maria - Vem do hebraico Myriam. Há diversas interpretações: “a que deseja uma criança”, soberana, senhora, “gota do mar” ou mesmo rebelião, entre outros. A origem também pode estar relacionada ao egípcio mry, amada.

2º lugar - Ana - Do hebraico Hannah, o mesmo que “graça”. É citado várias vezes na Bíblia. Entre elas, é o nome da mãe do profeta Samuel.

3º lugar - João - Vem do nome hebraico Yohanan e significa “Deus perdoa”, “Deus é misericordioso” ou ainda “Deus é benevolente”. Foi o nome de diversos reis, papas e imperadores ao longo da história.

4º lugar - Matheus - Nome de um dos doze apóstolos de Jesus, na Bíblia. Vem do hebraico mattatyah (“dom de Deus”).

5º lugar - Pedro - Pedra, rocha, do latim petrus, derivado do grego pétros. Nome popular em diversos países por causa do apóstolo São Pedro, que originalmente se chamava Simão. Segundo a Bíblia, Jesus teria mudado o nome de seu seguidor porque este seria a “pedra angular” da Igreja.

6º lugar - Gabriel - Vem do hebraico Gavri’el, “força de Deus” ou “homem de Deus” ou ainda “enviado de Deus”. Gabriel é o anjo que anunciou a Maria que ela seria mãe de Jesus Cristo, de acordo com a Bíblia.

7º lugar - Luiz – Variação de Luís. Forma latinizada do nome germânico Ludwig. É composto pelos elementos germânicos hlod (glória, fama) e wig (guerreiro). Interpretado, então, como “guerreiro famoso, célebre”. Outra hipótese é o germânico Allwisa, isto é, “sábio eminente” ou “muito prudente”.

8º lugar - Gustavo - Significado controverso. Provavelmente vem do nome nórdico Gustav. A origem está no nórdico antigo gund-staf, que é traduzido como “bastão de combate” ou “cetro real”.

9º lugar - Guilherme – Tradução do nome germânico Wilhelm. De wil (vontade) e helm (capacete, proteção), é interpretado como “protetor decidido”.

10º lugar - Júlia – Feminino de Júlio. Vem do latim Julius, nome de uma importante família da Roma Antiga, que dizia ser descendente de Júpiter, deus supremo na Mitologia Romana. É possível que a origem deste sobrenome seja o grego ioulos, ou seja, “de pouca barba”, jovem. O líder político e militar Júlio César (século II a.C.), que pertenceu a esta família, foi quem tornou o nome conhecido.

11º lugar - Kauã – Possivelmente de origem tupi, quer dizer gavião.

12º lugar - Lucas - Vem do nome grego Loukas, que significa “natural da Lucânia”, província italiana. Ficou popular por causa de São Lucas, um dos autores dos quatro evangelhos da Bíblia.

13º lugar - Luís - Do nome germânico Ludwig. É composto pelos elementos hlod (glória, fama) e wig (guerreiro). Interpretado como “guerreiro famoso, célebre”. Outra hipótese é o germânico Allwisa, ou seja, “sábio eminente” ou “muito prudente”.

14º lugar - Mariana - Variação de Maria, significa “relativo a Maria”, como devoção à Virgem Maria. Alguns autores associam a Marianus, família da Roma Antiga, cujo nome deriva de Marius (“de Marte” ou homem, no latim).

15º lugar - Nicolas – Variação de Nicolau. Significa “o que vence junto com o povo”, do grego Nikólas. São Nicolau (século III) deu origem à lenda do Papai Noel.

16º lugar - Rafael - Vem do hebraico refa-el, “Deus curou”. É uma referência à cura milagrosa feita pelo arcanjo Rafael ao pai de Tobias, na Bíblia.

17º lugar - Vinícius - Do nome latino Vinicius, que deriva de vinum (vinho). Também interpretado como “aquele que cultiva uva”.

18º lugar - Daniel - Significa “Deus é meu juiz”, do hebraico Dan-El.

19º lugar - Felipe - Variação de Filipe. Do grego philippos, ou seja, “amigo dos cavalos”.

20º lugar - Gabriela - Feminino de Gabriel, do hebraico Gavri’el, quer dizer “força de Deus”, “homem de Deus” ou ainda “enviado de Deus”.

21º lugar - Kaíque – Possivelmente do esquimó kayak, tipo de embarcação de madeira. Outros traduzem como “ave aquática”, do tupi.

22º lugar - Samuel - Significa “aquele a quem Deus ouviu” ou “nome de Deus”, do hebraico Shemu’el.

23º lugar - Bruno - Do germânico brun, moreno, escuro. O latim brunus tem o mesmo sentido.

24º lugar - Filipe - Do grego philippos, ou seja, “amigo dos cavalos”.

25º lugar - Francisco - A origem está na tribo de Franks (do latim francus, ou seja, “homem livre”), que vivia na Germânia e emigrou para a Gália no século IV. Eles deram origem ao povo francês. O nome, por isso, é interpretado como “homem livre” ou simplesmente francês.

26º lugar - Gabrieli – Variação de Gabriela, que é o feminino de Gabriel. Vem do hebraico Gavri’el, quer dizer “força de Deus”, “homem de Deus” ou ainda “enviado de Deus”.

27º lugar - Giovanna - Forma italiana de Joana. Feminino de João, quer dizer “Deus é misericordioso” ou “Deus é benevolente” em hebraico.

28º lugar - Luan – Nome inventado recentemente. Possivelmente uma variação de Luna, que quer dizer lua em latim.

29º lugar - Miguel - Significa “Deus é incomparável”, do hebraico Mikha-El. Nome do arcanjo que no Antigo Testamento derrotou Satanás, segundo a passagem bíblica.

30º lugar - Victor - Significa vencedor, do latim victor.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Escolha do nome do Bebê



Tradicional, moderno ou único? Dez dicas para encontrar o nome perfeito

1 Fale o nome em voz alta. Você gosta do som que ele tem? Lembre-se: um nome é mais falado e ouvido do que lido.

2 O que ele significa? Descobrir o que está por trás do nome, como a origem e o significado, pode torná-lo especial.

3 “Materialize” o nome no papel. Se falar o nome não foi o suficiente, vale também escrevê-lo. Combina com o sobrenome? É muito comprido ou difícil de soletrar? E o mais importante: você gosta dele?

4 Cuidado com as homenagens. Lembre-se de que nomes associados a figuras públicas, como celebridades, estão associados a estilos que talvez não agradem à criança no futuro. Avalie também a beleza em si do nome.

5 Faça composições. João ou Pedro? Maria ou Carolina? Ana ou Júlia? Por que não os dois? Se há muitas opções, uma saída pode ser combiná-las.

6 Use a criatividade. Um nome original tem a vantagem de ser inédito. Seu filho nunca vai ter de repetir o nome completo na sala de aula, por exemplo.

7 Peça opinião. Familiares e amigos vão adorar participar da escolha.

8 Escolha depois de o bebê nascer. Se você acha difícil dar nome a alguém que mal conhece, espere até ver o rostinho dele.

9 A mãe escolhe o primeiro, o pai fica com o segundo. Ou vice-versa. Pode ser uma boa saída quando os dois não conseguem chegar a um acordo.

10 Pense além. É o que sugere a escritora norte-americana Pamela Satran, co-autora de nove livros sobre nomes de bebês, como Cool Names for Babies (Nomes Legais para Bebês), inédito no Brasil. “Pense na criança e no futuro adulto, não só no bebê e, definitivamente, não apenas em si próprio”, diz.

domingo, 30 de agosto de 2009

Durante a gravidez

Durante a gravidez

1) A atividade sexual durante a gestação pode prejudicar o bebê?

Em princípio, não. A penetração não prejudica o bebê, que está protegido pelo líquido da placenta. Alguns médicos chegam a não recomendar relações sexuais nos primeiros meses de gravidez para reduzir riscos de aborto. “Mas isso não é regra. Varia de caso a caso”, explica a pediatra Ana Lúcia Martins Figueiredo, chefe do Departamento Neonatal do Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro. Acredita-se, inclusive, que o sexo no final da gestação pode precipitar o parto. O mais importante nessa hora é saber respeitar o estado da mulher e, caso ela concorde em manter relações sexuais, procurar as posições mais confortáveis.

2) Como lidar com os enjôos e os desejos da mulher?

A futura mamãe passa por uma transformação hormonal importante durante a gravidez. É um período em que ela fica mais suscetível a enjôos. De uma hora para a outra, começa a rejeitar determinados odores e gostos. Mas isso é muito individual. Existem mulheres que não sentem absolutamente nada durante a gestação. Outras, no entanto, são acometidas por uma sensação de mal-estar freqüente. “Nesse momento, o importante é o suporte afetivo do homem, o que não significa atender a todos os pedidos da companheira nas horas mais impróprias. O bom senso sempre deve prevalecer”, diz Ana Lúcia. Minha mulher, por exemplo, teve poucos enjôos na primeira gravidez e ficou mais sensível, mais dengosa. Trabalhou quase até a semana do parto. Acho que dei sorte.

3) Como encarar as mudanças de humor?

Além das reviravoltas hormonais, a mulher vivencia outras mudanças significativas no corpo, em especial nas mamas e na barriga. Isso tudo mexe com a gestante, e o parceiro precisa entender a situação. “Cada uma vai reagir de uma maneira e o homem tem de estar pronto para respeitar a individualidade dela”, orienta a pediatra Ana Lúcia Figueiredo. Uma maneira eficiente de garantir o bom relacionamento ao longo dos nove meses é acompanhar as consultas pré-natais e fazer os cursos de gestantes juntos. Por falar em pré-natal, lembro-me até hoje de escutar pela primeira vez o coração do meu filho, uma experiência inesquecível.

Guia prático para pais

Um guia bem bacana que encontrei em um blog. vale a pena imprimir e deixar sempre perto de você.
forte abraço